1 comment

Tenho recebido vários pedidos de dicas em relação à amamentação, além de pedidos de “socorro” nos primeiros dias do recém-nascido, então hoje vou falar das dificuldades desse processo.

A amamentação é sim linda, gostosa e faz bem para a mãe e o bebê, mas o inicio não é nada fácil.

Eu fui uma pessoa com mais “sorte” do que muitas, mas mesmo assim posso dizer: DÓI! É uma dor suportável se o bebê faz a pega correta (abocanha toda a aréola), como falei com detalhes no post Amamentação gostosa = pega correta .

Caso o bebê não “pegue o peito” corretamente, o bico pode ficar sensível, rachar, ter fissuras, ficar roxinho e até sangrar. Sei de algumas pessoas que passaram por isso, e na tentativa e sonho de continuar amamentando, o fizeram mesmo chorando de dor, mas não são todas que conseguem. Quando o seio está machucado, é muito difícil continuar amamentando pois o seio não tem um tempo para recuperar. Nos casos mais “tensos” e doloridos, pode ser que o bebê precise de complemento (leite em pó próprio para RN) para que a mãe se recupere e possa voltar a amamentar exclusivamente.
Quando o meu ficava sensível e dolorido, uma ou duas passadas de pomada + uso da concha resolviam.
Receita caseira? Também existe. Amigas do instagram disseram que passar a parte interna da casca da banana verde ajuda a cicatrização.
Qualquer dificuldade com a amamentação, procure uma enfermeira ou o banco de leite mais próximo!!! Saiba mais…

  1. O leite só desce cerca de 72h após o parto, mas pode acontecer antes ou depois.
  2.  Geralmente em partos normais essa descida acontece mais rápido do que em cesáreas . Caso esteja demorando a descer, o medico pode receitar remédios como ocitocina em spray (vc aspira 15 minutos antes da mamada), que ajudam a estimulação, produção e descida do leite.
  3. Antes da descida do leite, o bebê mama o colostro no seio da mãe. O colostro é conhecido como a “vacina” natural que a mãe dá, já que é rico em anticorpos e ajuda a proteger o bebe.
  4. A aréola fica muitoooo escura no final da gravidez e mais ainda no dia do parto, mas calma: ela volta a ficar mais clara. Acredito que de certa forma é uma proteção para as primeiras mamadas, que são mais difíceis.
  5. Se você tiver muito leite vai notar que mal desliga o chuveiro e o seio já está pingando. Agradece à Deus e se enrola na toalha! kkkkkk
  6. Quando o seio está muito cheio, ele DÓI. Você pode sentir latejando, ou pior, fisgadas e agulhadas. Mas passa em questão de minutos ou esvaziando ele um pouco.
  7. Você vai saber a hora do bebê mamar mesmo se ele estiver dormindo: o seio enche e você sente. Pode esperar poucos minutos que vai escutar o choro! É um reloginho!
  8. O seio deve estar sempre bem sustentado. Se ficar sem sustentação ou não esvaziar completamente nas mamadas, o leite se acumula nas laterais e fica bastante dolorido, podendo “empedrar”, dar febre e calafrios.
  9.  Quanto mais leite se tira, mais leite é produzido.
  10. Nunca limpe com água. Use o próprio leite para hidratar o bico, espalhando o leite pelo mamilo após a mamada.

Preparar o bico do seio ajuda?

Amigas, alguns médicos indicam sim que seja feita a preparação, outros não… na dúvida eu preferi fazer nas primeiras gravidezes. Mais dicas no post Preparando o mamilo… precisa?

Amamentar é uma arte. Exige paciência e insistência, mas é possível. SUCESSO À VOCÊS!

Além de ser possível amamentar, você pode ser doadora de leite materno. Saiba Mais AQUI.

Beijossss!!!!!

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.