Em julho contei aqui como foi viajar e deixar as meninas por pouco mais de 24h com a minha sogra, e na ocasião uma leitora me pediu para mostrar o outro lado: como foi para a sogra ficar com as meninas. Quais foram as dificuldades, como foi a rotina, etc.

Na semana passada decidimos viajar novamente, dessa vez por quase 4 dias, e vou falar hoje sobre como foi para elas, do ponto de vista da minha sogra e da Nana (minha funcionária).

Alguns dias antes da viagem meu marido cogitou de irmos juntos. Perguntamos à minha sogra se elas poderia ficar com as meninas e ela topou, mas ela teria que continuar trabalhando daqui e poderia precisar ir a reuniões, então a Nana era imprescindível. O problema foi: as passagens não estavam confirmadas, então não sabia se íamos ou não até o meio-dia da quarta (sim, pra viajar a noite!).

Eu não tinha estocado leite suficiente para os 4 dias (e a Clara ainda mama) e pensei em não viajar porque a Clarinha não teria leite materno. Resolvi parar um pouco pra pensar e ser “egoísta”, afinal ela já estava com 8 meses e meio, comendo frutas e (bem ou mal) papinha. Por que não podia comprar uma lata de formula pra complementar uns 2 ou 3 dias de alimentação? Claro que Leite Materno é melhor mas sinceramente achei um esforço desnecessário abrir mão de uma viagem a Paris só para não oferecer fórmula.

Achei que 3 dias longe da rotina desgastante que é ser mãe de duas tinham um preço mais alto e ia ser muito bom pra mim. Tomei coragem, falei com o marido e comprei o tal do leite em pó! Deixei umas 4 mamadas de LM e o restante foi de leite artificial.

Engraçado que eu achei que a Clarinha ia ficar muito mais tempo só no LM, mas ela tomou a fórmula exatamente na mesma época que a Bru, com 8 meses e meio.

Não tive medo dela “desmamar” (como falam que pode acontecer) porque ela já tinha usado a mamadeira antes (com LM) e aceitava bem o peito depois. Minha única insegurança foi: e se ela não aceitar a fórmula? Ofereci o LA durante a tarde e ela não demonstrou que daria problema, mas como estava sem fome ela dava 2 chupadinhas e empurrava o bico da mamadeira com a língua. Acho que se ela não fosse aceitar messsssmo, teria feito ânsia de vômito ou algo do tipo, mas ela chegava a sugar e bebia um pouquinho. Com fome ela não ia ficar!

Fui buscar a Bru, depois dei mamá pra Clarinha e fui. Deixei as meninas com a Nana e minha sogra veio a noite pra casa com a Lili (minha cunhada. Elas estão trabalhando juntas em um projeto).

Fiz algumas perguntas a elas (faltou a Lili). Segue abaixo:

Como foi ficar com as meninas?

Vovó Raquel: Não foi fácil, mas deu tudo certo e adoramos. As meninas são muito boazinhas e facilita muito. As duas já estão acostumadas a conviver todo final de semana, então não foi novidade estarem comigo. O fato de estarem com a Nana todos os dias e você deixar eventualmente com ela também ajudou.

Nana: Foi legal, foi uma experiência diferente. Eu nunca havia ficado com duas crianças sem a mãe, mas foi bom. Foi como ser mãe de novo… rsrs

 

Qual foi o momento mais tenso? 

Raquel: O mais complicado foi o fato da Clara ainda mamar. Ela sentiu muita falta, mas aceitou a mamadeira na primeira vez que oferecemos.

Como ela teve uma assadura muito feia (acreditamos que foi pelo lencinho perfumado no primeiro dia), ela ficou muito dengosa e chororô na quinta e sexta.

Nana: Foi a noite!! A primeira noite porque a Clarinha assou o bumbum, e na quinta ela ficou enjoadinha.

 

E a mamadeira com formula?

Raquel: Também pegou super bem. A primeira mamadeira foi com leite materno, depois demos duas com formula (na quinta-feira) e achei que ela estranhou um pouco. Tomou cerca de 120mL, um pouco menos do que de costume (150mL). Depois intercalamos mais um Leite Materno. No segundo dia ela via a mamadeira de longe e já queria. Ficamos até com medo dela não aceitar o peito quando você voltasse de tão bem que ela se adaptou.

 (Aninha: Observação: Quando eu cheguei de viagem ela tentava roubar a mamadeira da Bru! kkk)

Nana: Tomou “de boa”!! Aceitou super bem.

 

E na hora de dormir, a noite. Deram trabalho?

Raquel: A hora de dormir era mais difícil. Se eu ficasse brava por qualquer motivo a Bru falava “amo minha mamãe”, e ficava carente. Se não ficasse brava ficava tudo ótimo. A Clarinha estranhou mais na segunda noite.

Nana: A Clara sim, a Bruna não. A Clara acordou 3x na primeira noite. Eu só ouvi uma, mas a ‘vovó’ disse que foram 3 (ela que dormia perto das meninas)! hehehe

 

A hora da alimentação, como foi a aceitação?

Raquel: A Clarinha não estava curtindo muito o suco mas se alimentou direitinho. (É mais fácil quando outra pessoa oferece comida do que a mãe lactante!)

A Bru também, comia tudo!

Nana: No primeiro dia foi cansativo e estressante porque a Clarinha não queria aceitar (como sempre). Na quinta no almoço ainda deu um pouco de trabalho, a noite foi melhor. Na sexta comeu direitinho.

A Bruna não deu um pingo de trabalho pra comer.

 

***

Nada muito diferente do que quando estou aqui né gente?

Vocês sabem que a Clarinha dá um super trabalho pra comer, e por isso mesmo que eu resolvi “fugir” esses dias. Estava desgastada e estressada. Pra mim foi ótimo! (Aliás, na segunda-feira eu já queria sair correndo de novo… hahahah)

Na sexta à tarde estavam: Bruna, Clara, Raquel, Nana, Lili e Mônica (colega de trabalho da minha sogra) aqui em casa. hahahah Pensa que é mole??? A Lili foi embora na sexta a noite e meus (outros) cunhados vieram no sábado a tarde pra dar uma mão e liberaram a Nana. Esquema ‘família unida, uma mão lava a outra’. Não sei o que seria de mim sem eles.

Domingo cedinho eu estava de volta feliz e contente pronta pra encarar minhas ferinhas!! \o/

 

paris
Quando cheguei a Clara mamou como antes, e continua suas apegada ao tetê da mamãe. 
foto (4)
“O Ministério da Saúde adverte: A criança que mama no peito não necessita de mamadeira, bico ou chupeta. O uso de mamadeira, bico ou chupeta prejudica o aleitamento materno”
Bjosssssss
***
Vocês sabiam que a primeira viagem que fizemos sem a Bru foi uma viagem de 17 dias para os EUA, quando ela tinha 1 ano e 5 meses? Doidos né! Quando eu olho o vídeo dela na época eu não consigo acreditar que eu consegui deixá-la tanto tempo. Já contei como foi difícil essa decisão aqui.

 

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.