1 comment

Porque algumas pessoas acham que ser Mãe e Pai tem que ser de uma forma doída?

Porque não respeitam que cada família tem um ritmo e cada criança um comportamento diferente?

Cada mãe, pai, família tem suas necessidades. Enquanto você fica bem em casa, outra pessoa precisa trabalhar. Enquanto uma é feliz trabalhando fora, a outra é feliz trabalhando perto dos filhos, mesmo com interrupções e sem render muito.

E essa pessoa não pode ficar irritada e frustrada um dia ou outro? Pode sim! Tanto a que trabalha fora pode se lamentar da falta de tempo com o filho e por não poder leva-lo à escola, quanto a outra mãe pode estar cansada da rotina dela, do leva e trás, do stress do dia a dia. Isso não quer dizer que ela é infeliz com a escolha e devia fazer diferente. Temos todos dias ruins. Quem não tem?

Aí uma mãe mais ‘estável’ (às vezes que não trabalha, cuida dos filhos e da casa e tem uma rotina mais certinha) fica indignada com certas coisas e diz: “Se não queria filhos porque engravidou?” Eu acho a maior ignorância uma frase dessa. Porque tem q ser assim? Porque tem q ser um peso? Porque a criação e a educação precisam ser exemplares em todos os cantos? Porque a fulana não pode ter uma babá no final de semana se ela trabalha a semana toda e no final de semana quer ter tempo de qualidade com os filhos, com o marido e para si própria? Ela escolheu ter filhos, sim, mas porque ela não tem o direito de descansar no sofá enquanto outra pessoa dá o jantar depois de um dia no parque?

Se o casal precisa desse tempo, ótimo. Se não precisa, ótimo também. Se a mãe está cansada de choross e gritos os dia inteiro e pede uma viagem, ela merece oras.

Se o marido sente falta da companhia da esposa, amiga, companheira, conselheira sem vê-la correndo atras das crianças, correndo, gritando, alimentando, trocando… porque não???

O que é leve e gostoso pra uma pessoa pode não ser pra outra. Pode nem ser tão leve também, mas algumas pessoas entendem que faz parte do processo e encaram. Outras pedem ajuda, seja profissional ou de outra pessoa da família. OK.

Se a pessoa consegue ter uma rotina redondinha e colocar as crianças pra dormirem todos os dias 20:30h, porque ela se acha no direito de julgar quem não o faz?

Se na casa da vizinha o marido trabalha até tarde e as crianças dormem depois das 22h para verem o pai, que mal há nisso? Eu entendo que tem diversos estudos que mostram que o desempenho das crianças que dormem até 21h é melhor na escola, desenvolvimento e tudo mais, mas nem sempre é possível. Na minha opinião, é melhor uma criança dormir mais tarde e ter a presença do pai do que não ter.

Toda família tem que ter regras, tem que ter o mínimo de cuidado com a alimentação, tem que ter uma rotina saudável, mas não dá pra ser exemplo em tudo.

Antes de sermos Pais e Mães somos pessoas com vontades e necessidades. Um pai e mãe que trabalham fora, que viajam sozinhos, que deixam as crianças na casa dos avós no final de semana, não são menos pais, só tem necessidade de um tempo diferente do vizinho. O que precisamos de verdade é parar de julgar as pessoas e olhar pra dentro da própria casa.

Se você da conta de tudo, ótimo. Se seu marido cumpre com louvor a parte dele, Parabéns! Se vocês precisam de uma babá pois não conseguem fazer tudo com os filhos e ainda descansarem e serem o casal que querem, sem problemas.

Claro que existem casos e casos. Seria tão bom se todos tivessem bom-senso, né? Mas não tem. Ok, cada um cuida da sua vida e faz o que acha melhor.

***-***-***

EU não tenho babá, nunca tive. Vou para a terceirinha. Se me perguntarem se vou continuar sem, eu vou responder que não sei. Acho que sim. Eu sou das que encaro (minha rotina trabalhando em casa me permite isso). O investimento que seria ter uma babá prefiro investir na nossa casa ou viagens. Pode ser que eu dê uns gritos a mais do que a pessoa que tem a babá, que eu me estresse mais. Mas pode ser que eu seja mais feliz também. Eu posso ter registrado na memória (ou no celular) momentos que passam desapercebidos por outras pessoas. Posso às vezes parecer uma doida carregando criança, entrando no carro, apressando minhas pequenas (tadinhas!), mas querem saber se eu troco isso? Não.

bagunça as 22h
bagunça as 21:45h

Ah! E não pensem que essa foto é de família de comercial de margarina. Depois dessa bagunça rolou um stress enorme, gritos da Bruna com sono porque eu – uma vez – deitei no sofá e quis assistir a novela inteira. Passou da hora. Falhei. Aconteceu.

***-***-***

A única certeza que tenho é que: “Somos as melhores mães que podemos ser. Cada uma do seu jeito”

Julgar menos, amar mais. Que tal praticar?

Bjos bjos

Aninha

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.