5 comments

Post escrito em Maio/2012 e revisado em Março de 2013

Cuidar de um bebê não é fácil, não é mesmo? As longas mamadas, o dia trocado pela noite,  rotina de recém-pais (principalmente da mãe) é super cansativa. Se não fossem as cólicas, esses primeiros meses do bebê seriam menos dramáticos…

Estudos ainda não comprovaram a causa exata das cólicas, mas acredita-se que elas acontecem porque o sistema digestivo do bebê ainda é imaturo.

Quando o bebê chora de cólicas, ele se estica todo, não pega o peito e chora muito. Sacode as perninhas sem parar, nervoso! Bem que a gente tenta “calar” com o peitão e um leitinho quentinho, mas a dor é tanta que eles não conseguem “fechar a boca” e o bico do peito vira microfone. Ali, sem contato, berrando… é de dar dó.

Elas podem aparecer após uma semana de vida do bebê. É comum ter episódios de cólicas até os 3 meses, mas dependendo da criança esse período pode ser menor ou maior.

A alimentação também pode ter grande influência nesse processo: Se for artificial (As fórmulas, leite em pó) causam maior desconforto no bebê; Se for leite materno, dizem que a alimentação da mamãe podem provocar o aumento dessas cólicas, o que não é comprovado.

Alimentos que devemos evitar: excesso de chocolate, feijão, leite e derivados, brócolis, couve-flor, repolho, e comidas apimentadas pois são alimentos que produzem gases (BabyCenter); Por conta própria incluo nessa “lista” alimentos que contém corantes e conservantes (a Bruna tinha MUITA cólica quando eu comia molho de tomate Pomarola), e frituras.

A verdade é que por mais que evitemos certos alimentos, se for pra ter, eles VÃO ter cólicas… uns mais, outros menos… Não adianta querer cortar todos os alimentos pois precisamos nos alimentar bem para garantir a produção do leite.

O que nós mamães, os papais, avós e colaboradores podemos fazer?

  • Ginástica: Gentilmente empurrar as perninhas contra a barriga do bebê. Uma de cada vez como uma bicicletinha.
  • Massagem: com óleo fazer movimentos circulares na barriga do bebê, em sentido horário.
  • Aquecer: Colocar uma bolsinha de água morna na barriga do bebê. Cuidado com a temperatura (sempre forrar com uma fralda. Aliás, já viram o post sobre capinhas de bolsa de água quente?)
  • Enrolar: Enrole o bebê bem apertadinho em uma manta ou coloque no sling.
  • Movimentar: O bebê geralmente chora menos quando estamos em movimento. Pode ser no sling rede, bouncer, desde que bem seguro.
  • Barulhos: Evitar lugares agitados e barulhentos
  • Som: Barulhos constantes ou rítmicos ajudam a acalmar os bebês: ventilador, secador de cabelo (Já viram o post com um vídeo que ensina 7 maneiras de fazer o bebê dormir? e sobre os aplicativos que baixei com sons que acalmam os bebês?.
  • Deitar: Colocar o bebê de bruços na cama ou no antebraço, de preferência com o rosto próximo ao cotovelo e a mão aquecendo e massageando a barriga do bebê.O mamaRoo é um tipo de bouncer, mais elaborado, com vários tipos de movimentos e sons da natureza (água, ondas, vento…). Não usei o meu com essa finalidade, mas quem tiver pode tentar.
  • Remédio anti-gases: Simeticona de 8/8h, de uso constante enquanto o bebê apresentar cólicas. Consulte o pediatra.

Há quem também use a antiga Funchicórea, hoje encontrada no mercado como Funcho Baby. É um pózinho natural, mas cheio de adoçante que vc passa na chupeta e oferece ao bebê. O gosto doce faz com que ele se acalme. Usei com a Bru, mas com a Clara não.

Outra dica que me deram é a mamãe tomar chá de erva-doce.

Experiência

As cólicas da Bruna começaram com menos de 10 dias e se estenderam até os 40 dias com freqüência. Com acompanhamento da Pediatra da Bru, me rendi à medicá-la continuamente nesse período (somente remédio para gases). Depois foram ficando mais fracas e menos freqüentes, sem necessidade de medicação contínua, somente durante os “episódios”. Com 2 meses praticamente não tinha mais esse desconforto.

Quanto mais verde for o cocô, mais rápida foi a passagem dele pelo intestino. Não se assustem. O “normal” é mais amarelado, mas muita massagem dá nisso===>> Olha o presente da Bru pra mamãe com 1 mês e 2 dias!

 

Qualquer alteração na cor, consistência e cólicas em excesso, consulte o Pediatra. Seu filho pode ter alergia (temporária) à lactose das fórmulas ou até mesmo presente no leite materno.

Com a Clara, as cólicas foram menos intensas. Não tive nenhum episódio de cocô tão esverdeado como o da foto acima. O dia em que ela mais teve cólicas foi um pouco mais tarde do que a Bru, aos 44 dias. Depois de uma semana, elas já eram raras.

Espero ter ajudado.

Bjinhos!!!!!

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.