Nos 2 primeiros anos escolares da Bruna eu não precisei me preocupar com o lanche, pois a escola mesmo preparava. Tinha o lado bom e o ruim: era mais prático não ter que me preocupar com isso mas eu não escolhia o que a minha filha iria comer e quase sempre as bolachas adoçadas ou bolo estavam inclusas no cardápio.

Se você é como eu, que gosta de praticidade mas não gosta de oferecer produtos prontos e adoçados,  cheios de aditivos e conservantes, continue lendo. Se você acha que não tem nada demais oferecer biscoito recheado, refrigerante e salgadinho, veja o post Muito além do peso… os maus hábitos alimentares e a obesidade infantil.

Pra começar, vou separar alguns alimentos em 5 grupos:

  • Os que eu NÃO ofereço em casa e não mando para a escola
    Achocolatado de caixinha, refrigerante, bolacha recheada, bolinho recheado
  • Os que elas já comeram mas eu não mandaria para a escola
    Salgadinho. Balas, pirulitos, chocolate, (além do refri) etc são proibidos pela escola \o/
  • O que elas já comeram e eu raramente mando para a escola
    Suco de caixinha, petit suisse.
  • Os que elas levam algumas vezes (mesmo não sendo 100% saudável)
    Bisnaguinha, Yacult, biscoito de polvilho, damasco (gruda no dente e na escola eles não escovam), pão de queijo, bolo caseiro, peito de peru, presunto.
  • Os que elas sempre levam ou eu mandaria sem “limites”
    Pipoca sem óleo e sal, uvas, mexerica, cenourinha, maça, melancia, tomate, pepino, mussarela de bufala, crepioca, banana, morangos.

-> Frutas que estragam com facilidade no calor (uvas, melancia, melão, mexerica) e frios/embutidos (peito de peru, lanches frios) mando sempre em lancheira térmica ou com gelo!

Vale lembrar que elas tem 5 e 3 anos, então não adianta comparar a uma criança de 10 anos que está acostumado a consumir lanches não-saudáveis. Cada família tem seus hábitos.

Sobre fazer escolhas conscientes

Apesar de saber da alta quantidade de sódio ofereço pães industrializados (como a bisnaguinha citada) para as minhas filhas com moderação. Já tentei uma opção mais saudável (como o pãozinho feito na padaria), mas não aceitaram.

O suco de caixinha que compro geralmente é sem adição de açúcar, corantes ou conservantes (Natural One por exemplo). Mesmo assim opto por enviar água na lancheira no dia a dia e a fruta in natura.

Algumas bolachas integrais (de arroz por exemplo) elas ainda não gostam, mas vou continuar tentando.

O queijo processado é uma opção que considero na categoria do “raramente mandaria”. Atenção aos rótulos!

Porção/Quantidade

Ano passado errei muito na porção e nas escolhas que poderiam ser melhor balanceadas, como podem ver abaixo:

Percebi que o erro comum na lancheira que sempre voltava com alimentos era a porção exagerada de algumas coisas devido ao tamanho da lancheira/marmita. Uma opção melhor:

Banana + yacult + bisnaguinha
Banana + yacult + bisnaguinha

Comecei a colocar uvas no recipiente menor, mas mesmo assim não adiantou (voltava com lanche).

Nesse primeiro dia do ano utilizei o pote térmico para acondicionar 12 uvas e na outra “marmita” menor coloquei um sanduíche de queijo e orégano que a Bru me pediu. (diz ela que vai comer tudo dessa vez… veremos). A garrafa foi vazia pois agora será parte da rotina encher a própria garrafa de água e reduzir a quantidade de copos utilizados na escola.

lancheira sanduiche uva
12 uvas sem semente e um sanduíche

Uma saída para quem não consegue montar um cardápio diversificado e equilibrar as escolhas (frutas, derivados de leite, pães) é pedir ajuda profissional. A Paola, nutricionista e blogueira do Maternidade Colorida presta Consultoria em Nutrição e elabora cardápios personalizados (após pesquisa de hábitos da família) para bebês em introdução de sólidos, crianças em idade escolar, gestantes, etc. Ela me ajudou com um cardápio mensal para as meninas e opções variadas.

consultoria em nutrição maternidade colorida lancheira

Como dá pra ver na imagem de destaque do post, dá pra montar uma lancheira com menor quantidade e maior variedade, além de “brincar” de desenho com os alimentos e estimular as crianças. (Farei outro post com dicas e acessórios).

shutterstock_300014822

Recomendações da escola:

O alimento tem também a função de “dizer” à criança o que seus pais acreditam que seja bom para ela: conscientemente, só oferecemos para nossos filhos o que acreditamos ser de qualidade e que favoreça um desenvolvimento físico, emocional, cognitivo. Não é uma tarefa fácil e simples oferecer qualidade para a construção de um projeto tão complexo e tão afetivo como educar e criar um filho.

Dentro da lancheira cada criança carrega, simbolicamente, o afeto, o cuidado, a preocupação de seus pais com o seu bem-estar e a saúde geral. Comer, de vez em quando, na hora do lanche, um pedaço do bolo ou do pãozinho feito com ou pela mãe, ou a fruta escolhida junto com o pai ou as bolachinhas feitas com a vovó… “não tem preço”!

  • É interessante retirar os alimentos das embalagens originais para não incentivar o consumo. Os potes de lanche são também muito úteis quando temos que retornar as sobras.

 

Bjossss

Imagem: Lunch em Shutterstock

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.