Olá queridos,

No post de hoje a gente vai bater um papo sobre classificação etária no cinema.

Esse assunto foi pauta aqui em casa desde a semana passada, e como ele vai e volta resolvi compartilhar com vocês, ouvir opiniões….

Vamos falar sobre 2 filmes: Part of Me – Kate Pery e Tão Forte, Tão perto.

Primeiro entendendo a lei:

Todo mundo sabe que censura não existe desde 1988, ficando desde então determinada pelo governo que a restrição para programas de TV, filmes e peças de teatro é chamada de “Classificação Etária”.

O que é levado em conta na hora de definir essa classificação é o conteúdo do programa ou filme.

As restrições são estabelecidas pelo governo (Ministério da Justiça) e são apoiadas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Programas de TV, filmes e peças de teatro podem receber as seguintes classificações: LIVRE, 12 anos, 14 anos, 16 anos, 18 anos.

 

O que a turminha pode ver afinal:

Seguir ou não a regra, eis a questão…

Semana passada atendendo a insistentes pedidos (quase de joelhos) levei 9 meninas na faixa de 9 a 12 anos para assistir “Part of me” da Kate Pery. Mas antes tomei o cuidado de ver a classificação e sinopse do filme, por que achei que  devia ser 12 ou 14 anos. Neste caso era Livre, mas ainda assim, não convencida de que o conteúdo seria adequado fui ao trailer. Bem inocente, o filme trata apenas da carreira da pop star, preparação para turnê etc. Assistir o filme para elas foi quase uma tietagem a cantora, tem um apelo lúdico por conta do formato dos shows, produção etc. Adultos entendem esse filme de outra forma, mas enfim, nada demais.

Acontece que as meninas vivem me pedindo para assistir filmes e conteúdos de TV que não estão de acordo com a faixa etária delas, e no caso do cinema e levando em consideração as mudanças físicas que rolam nessa faixa etária, não é difícil chegar ao cinema e uma menina de 12 passar por 14.

Fácil…

Tenho notado que isso é uma constante e que não burlar a classificação é uma exceção à regra.

Mas o que fazer? Liberar? Vetar e seguir a lei a risca? Fazer um julgamento individual e o que passar pelo nosso crivo é o que vale?

Vai saber….

Eu procuro seguir o que foi determinado, e na maioria das vezes, acho justo o que diz a classificação etária.

Mas algumas crianças dessa turma estão livres para assistirem qualquer coisa, ou conteúdos com classificação um pouco acima.

Mas a polêmica por aqui continua, pois há um filme que temos discutido se elas podem ou não podem ver.

O filme é Tão Forte, Tão perto. Para quem não viu conta a história de um menino que perde o pai no 11 de setembro e ele tenta desvendar um mistério de um jogo que ele fazia com o pai.

A classificação etária desse filme é 12 anos e minha filha de 10 quer ver de qualquer maneira.

O trailer fala por si e eu tenho sido irredutível quanto a não deixá-la assistir, muito embora saiba que algumas amigas já viram.

Nesse caso fiz as minhas considerações por acreditar que no filme há questões muito densas a serem assimiladas.

Acredito que a criança não tem recursos emocionais para compreender alguns fatos e explicar alguns acontecimentos. A falta de resposta pode gerar angustia e medo.

Isso vale pra TV também.

Qual é o certo e o errado nessa história?

Compartilha com a gente a sua experiência! É Livre!

 

Beijos Cami

 

Sobre Camila

Mãe da Victória e da Helena, aprendiz de escritora, apaixonada por essa galerinha 10&Twelve.