2 comments

A primeira vez que um filho cai e bate a boca ficamos sem saber o que observar por ser uma situação nova. Corre no PS odontológico? Procura um dentista? Liga pro pediatra?

Primeiro: para tudo e coloca gelo. Pronto. Agora pensa no próximo passo.

O ideal é que a criança já tenha um odontopediatra que o acompanhe periodicamente e nessas horas é necessário marcar uma consulta e verificar a necessidade de urgência dependendo do caso.

Se o dente caiu, tente recuperar e guarde para que o dentista veja se é possível recolocar.

Duas coisas precisam ser observadas de imediato: Se o dente está mole ou firme e se a gengiva está normal. Existem diversos traumas possíveis e somente o odontopediatra pode avaliar a gravidade do acidente.

Fonte: Dental Trauma Guide
Fonte: Dental Trauma Guide

É necessário acompanhar com exames de raio-x dos dentes periodicamente pois acima do dente de leite (dentro da gengiva) já existe o germe do dente permanente, e o odontopediatra vai avaliar se a raiz do dente de leite e o dente permanente estão preservados. O mais importante é assegurar a integridade da segunda dentição.

Qualquer aparecimento de bolsa de pus na gengiva deve ser comunicado ao dentista.

Cuidados: 

  1. Colocar gelo imediatamente
  2. Verificar se o dente esté firme e gengiva normal
  3. A alimentação deve ser pastosa e líquida. Nos sólidos, evitar alimentos duros.
  4. Evitar chupetas e mamadeiras
  5. Marcar uma consulta no odontopediatra para avaliação

Experiência:

Por enquanto nessa minha maternidade tive 2 incidentes envolvendo os dentes. A Bruna no pula-pula afundou os dentes na cabeça do primo. Os dentes que eram pra frente deram uma desentortada (rss), mas no geral não aconteceu quase nada. Como eu não tinha uma odontopediatra de confiança ainda, conversei com a pediatra mesmo que me orientou a observar se não aparecia nenhuma bolsa de pus na gengiva. O dente estava firme, escureceu um pouco e clareou com o tempo.

Já com a Clara o susto foi um pouco maior. Eu tinha ido à dentista e quando cheguei em casa tive a notícia de que a Clara tinha batido os dentes na cabeça da Bruna e tinha machucado. Minha funcionária colocou gelo na hora e depois de muito chorar ela dormiu. Quando a vi com a boca cheia de sangue liguei imediatamente na dentista que eu havia ido e pedi que ela olhasse a Clara.

Além do sangue, o dente (que era pra frente por causa da chupeta) estava afundado “de volta no lugar”, porém firmes.

Apesar de não ser especializada em crianças ela avaliou e como não tinha nada urgente que ela pudesse fazer, me orientou a procurar o odontopediatra para acompanhamento. Também fui orientada a médica-la em caso de dor.

Foi aí que através de indicações de amigas eu cheguei à Clinica Politano (Campinas). O Dr. Gabriel também tem o Ateliê Oral Kids em São Paulo. A noite as gengivas incharam e ficaram muito feias e então liguei no dia seguinte pedindo um encaixe de emergência.

Eu não escovei os dentes dela com medo de machucar, mas as primeiras orientações (além de observar se os dentes continuavam firmes e as gengivas sem bolsa de sangue ou de pus) foram: fazer a higiene bucal normalmente e com clorexidina, tirar chupeta e mamadeira.

A gengiva começou a desinchar e foi melhorando com o passar dos dias. O dente escureceu muito depois de cerca de um mês mas voltaram a clarear com 2 meses. Estamos fazendo raios-x mensalmente e por enquanto está tudo preservado. Ele explicou que o escurecimento temporário pode ter sido por causa de sangue acumulado ali e que o trauma pode ter consequências tardias, por isso a importância do acompanhamento.

Podem notar que depois de 2 meses os dentes já estão alinhados pois ela largou a chupeta e com pouca diferença na coloração. <3

Espero ter ajudado!

bjsss

 

Aninha

 

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.