8 comments

Parto normal ou parto vaginal definiriam a via de parto na qual a Alice nasceu, mas não deixaria claro que não sofremos intervenções sem necessidade. Isso só o termo “parto humanizado” diz.

As vezes fico pensando… mas parto precisa ter nome e sobrenome? Pois é, infelizmente sim. O meu parto normal anterior não foi natural, não foi acolhedor e não foi tranquilo. Foram 2 partos vaginais, 2 partos normais, mas um totalmente diferente do outro. Só hoje eu sei que o nascimento da Alice foi em um ‘parto natural humanizado domiciliar’ e tem tantos nomes assim porque se fosse em outro local, com outros médicos ou sem apoio, não teria sido como foi.

Se alguém que lê esse texto ainda duvida que o bebê tem um tratamento diferenciado em um parto humanizado (sendo hospitalar ou domiciliar), veja as cenas dos meus partos anteriores e depois o desse. 

A Bruna já assistiu ao vídeo algumas vezes e quando meu marido fala que não queria mais que fosse “tira, esfrega, puxa, mede, pesa”, ela me perguntou: “O meu foi assim, né mamãe?”. Sim, foi. Ela ja assistiu diversas vezes. Eu explico que ela foi minha primeira bebê, que nós queríamos muito conhecer ela logo e por isso ela saiu pela barriga e não pela ‘perereca’, mas que por um lado ela teve uma vantagem grande por ter toda a família lá no hospital esperando por ela, doidos para conhecê-la. No vídeo dela tinha uma verdadeira torcida organizada no vidro do berçário esperando o primeiro banho, então cada uma tem sua historia, e mesmo desinformados quanto aos procedimentos padrões dos nascimentos, nós como pais fizemos o nosso melhor na época.

Já falei antes que precisei das 3 experiências para hoje poder contar a outras pessoas e informa-las melhor do que eu fui informada. A cesárea veio na hora que queríamos e com muito amor, o parto normal veio pra me mostrar que eu sabia parir e que era possível e o parto natural veio leve, calmo e transformador. Torço para que mais mulheres tenham essa experiência incrível que foi parir com o mínimo de intervenções e o máximo de respeito a um bebê que estava quentinho e acolhido na barriga.

Ficou tão lindo, tão tocante e tão simples, que só me senti a vontade para divulgar depois de gravar um depoimento que isso não é um incentivo ao Parto Domiciliar mas sim a um parto com respeito. Cliquem para ir para o Vimeo para não “sofrer” com o refresh da página em 10 minutos. O vídeo tem 30 minutos, para ser visto com calma.

 

Para ler o relato de parto completo clique aqui. 

Para saber um pouco mais das 3 experiências e links relacionados a essa transformação, clique aqui.

Bjossss

 

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.