Oiiiiii pessoal!!!! Tudo bem???

Antes de falar sobre a gravidez preciso contar a saga de ontem…

Saí de casa as 8:15 da manhã e fui pegar minha cunhada para me acompanhar na aventura do dia (carregada de fraldas, pomada, roupa, suco, água, mamadeira, leite em pó, uva, bisnaguinha e babador). Por aí imaginam quanto tempo iríamos passar na rua, né?!
Fomos ao médico GO passar em consulta, depois almoçamos, fui conhecer a maternidade do São Luiz e em seguida a do Einstein. Levei uma encomenda no Morumbi e fomos pra casa da cunhada depois das 17:30h.

Minha pequenina capotada no soninho da tarde.

Comi e descansei 1 horinha lá, depois saí com a Bruneca para o último compromisso do dia, o Encontrinho de Mamães do site Bebê.com.br. Ufa!!!

22:20 estava de volta em casa com minha pequena grande companheira. Um belo banho de banheira, uma secadinha no cabelo, história contada, mamadeira e ela dormiu! Ufa!

Depois disso comecei a ficar meio tonta de fome, de novo… Eu só tinha isso no primeiro trimestre, lembram? Bom, na hora que eu estava indo pra cozinha, o marido chegou e preparou um sanduíche pra mim! Ufa *2!!! Estou aqui 00:30, largada no sofá, escrevendo antes de dormir, pois saio de casa amanhã as 7. Acho que amanhã a tarde eu “arrego”… fácil!
Bom, então vamos ao que interessa: 

 

COMPLETAMOS HOJE 33 semanas!!!! \o/

Consulta

  • Peso

Nessa consulta eu levei o maior susto de todas na balança. Lembram que eu tinha engordado 5Kg em 28 semanas???? Pois é… nas últimas 5 semanas eu ganhei 3Kg ( T-R-Ê-S  QUILOS!!!!! )

Assim, de repente, eu passei de 5 para 8Kg ganhos. Está certo que eu já estava preparada para ganhar mais peso no final, mas até 2Kg/mês, não 3 né?!?

Esse mês não foi fácil: 5 dias nos EUA, aniversário da Bruna e depois 1 semana comendo os doces que sobraram da festa. Fora os finais de semana comendo bem e os brigadeiros que o marido trouxe pra casa.
Com esse ganho de peso ganhei um pedido de Teste Oral de Tolerância à Glicose, além das recomendações: CORTAR os doces e comer de 3 em 3 horas. Não posso ficar sem comer e fazer hipoglicemia de jeito nenhum pq prejudica o bebê (causa até a morte, sério!), mas tenho que cuidar da alimentação agora. Andei muito relaxada, comendo doces, bisnaguinhas, e qualquer coisa que desse vontade ou estivesse mais fácil. Vou comprar uns lanchinhos mais saudáveis, frutas, e me policiar.
Tb vou marcar as drenagens e fisio, e ver se pratico alguma atividade, mas sem promessa.

  • Fome
Já falei ali em cima, né?! Aquela fome avassaladora que tive no primeiro trimestre voltou hoje com força total! :-/ Vou tentar não atacar as bisnaguinhas como eu já vinha fazendo há 2 semanas.
  • Parto
Minhas maiores dúvidas eram em relação ao parto, trabalho de parto, como eles fazem, o que fazem. Fui sincera e disse que outro dia perdi o sono pensando nisso. O Dr. Kalil me explicou direitinho como seria em algumas situações. Também perguntei sobre as férias dele, e serão do dia 30/dez ao dia 14/jan. Mesmo com o consultório “fechado” desde o dia 22, vou passar em consulta lá pelo dia 27 e caso eu tenha algum indício (colo afinado, dilatação) de que entraria em TP nos próximos dias, ele pode adiantar um pouco o parto e induzir, seja com um remédio, descolamento da placenta, etc. Tudo muito bem assistido pela equipe toda.
A história de que só se deve ir para o hospital com contrações de 5 em 5 minutos não serve pra mim por dois motivos: por ser segunda gestação o TP (trabalho de parto) evolui mais rápido e não posso esperar e “correr esse risco” e o outro motivo é que ele não voltaria a tempo da viagem. Caso eu entre em TP com contrações de 50seg a 1 min, mesmo que com intervalo bem maior entre elas, ele pede minha internação para que eu seja acompanhada de perto pela enfermeira obstetriz e assim daria tempo dele voltar para fazer o parto.
A partir do momento que a dor me incomodar, o anestesista já pode me fazer a analgesia (e eu continuo sentido tudo, menos dor).
Se nas consultas eu não tiver nenhum sinal, espero até as 40 semanas, sendo que depois do reveillón eu não vou fazer muito esforço para esperar a volta dele sem sustos (claro que continuarei passando em consultas, com a médica substituta dele).Comentei com ele também sobre uma pressão na pelve muito forte que tive no sábado, e menos forte que tenho às vezes. Ele disse que pode ter sido após um dia mais agitado, mas que qualquer novidade é para entrar em contato. Verificou o bebê e a Clara ainda não está encaixada.
É normal acontecer às vezes, mas é bom sempre ele saber e em caso de dúvida ele vai pedir que passe na maternidade e faça alguns exames. De qualquer forma para ficar mais tranquila e bem assistida, a partir de agora já vou passar em consultas quinzenais (normalmente é nessa fase que começa mesmo) e a partir da próxima consulta já faço exame de toque. Just in case. No último mês ou pelo menos perto do natal, já começa a ser semanal o acompanhamento.

Outra coisa que eu não sabia é que o colo uterino além de afinar, muda de posição e ai sim dilata. A tal história de que “não tem passagem” só dá pra saber depois que mãe tem dilatação total e é detectado que a cabeça do bebê é maior do que a passagem, mas é super raro.
Fiquei bem tranquila com o papo. Ele perguntou o que eu queria fazer (PN OU PC) e perguntou:  ‘Se nascesse’, você teria PN?
E eu disse que sim! “Se nascesse’ seria perfeito. Bom, mas se não nascer já sei que eu e ele podemos optar pela cesárea sem dramas.
  • Linha Nigra
Perguntei a ele sobre o creme que usei no pós-parto da Bru. Comentei que minha pele “descascou” e saiu, como comentei no post do oitavo mês. Ele disse que é difícil acontecer, mas que o creme pode sim ter ajudado, mas que de qualquer forma a linha VAI aparecer pra todo mundo e VAI sumir sozinha. Quando tomamos muito sol ela demora mais pois pigmenta mais, mas sai.
Para quem quiser tentar, usei o Mustela Post-Partum Restructuring Gel.
  • Cinta
Perguntei o que ele acha sobre o uso da cinta e ele disse que se eu me sentir mais segura, tudo bem, mas que ele não recomenda o uso por muito tempo e nem aquelas enormes que vão até embaixo do seio.
Caso eu opte por usar, ele sugere que seja uma com zíper e colchetes, mas que só vai até o umbigo.
Quando usamos a cinta, não trabalhamos a musculatura para voltar ao normal. A cinta comprime, mas nós ficamos relaxadas.
Quando não usamos a cinta, ele pede que a gente se policie e “murche” a barriga. Assim a gente exercita a musculatura voluntariamente.
Bom, amigas e amigos, é isso! Vou nessa pois já são 1:35h.
 
Bjos mil!!!!!!!!!!!!!!!
Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.