Muitas mulheres sonham com a gravidez e quando ela chega, para muitas, se inicia uma fase de situações desconfortáveis e um dos pontos a serem destacados são: As náuseas e vômitos! 

Os sintomas são comuns e muitas vezes manifestam-se ainda antes da mulher se descobrir “oficialmente” gravida. Aliás esses são um dos grandes alertas para as mulheres que começam a se sentir estranhas e notam então a menstruação atrasada, junto com o famoso enjôo matinal.

Em torno de 50% das gestantes costumam queixar-se das náuseas e 25-30% referem os dois desconfortos. Mas não se desesperem,  isso tudo é passageiro, e  tende a diminuir ao final do quarto mês de gestação.

O fato da gestante apresentar as náuseas e as vezes o vômito, em geral, não inspiram grandes cuidados, com exceção de mamães que engravidaram com baixo peso, apresentam náuseas e vômitos intensos, que podem desencadear desidratação, perda de peso significativa, perda de potássio e sais minerais,  aumento da densidade urinária, além de outras alterações, podem  estar relacionados a hiperemese gravídica.

Mas essas proporções são muito raras e pegam uma parcela pequena de gestantes,  em torno de  0,3% a 1 % das gestações.

Tais sintomas tem diversas explicações e as mais comuns, estão relacionadas ao aumento de beta-HCG( o hormônio que detecta a gravidez), quanto maior sua concentração, maior a quantidade de estrogenio produzido e esse último sendo responsável pela sensação de enjôo.

Outro fator bastante ligado aos enjôos está relacionado ao olfato extremamente sensível das gestantes, que ao sentirem por exemplo o cheiro do pão de queijo…..correm para o banheiro!

Como o período da gestação é bastante delicado e sabemos que muitas drogas passam diretamente para o bebê, listei algumas maneiras naturais, práticas e saudáveis de controlar os enjôos e curtir a deliciosa fase da gestação.

imgHandler.ashx

  •  Faça refeições leves e em pequena quantidade. A sensação de “estômago cheio” é prejudicial e pode contribuir para os casos de enjôo.
  •  Evite alimentos, temperos e molhos gordurosos. A gordura costuma ter cheiro muito forte, além de ser de difícil digestão. 
  •  Ao fazer suas escolhas alimentares, lembre-se que nesse momento você estará com olfato e paladar aguçado. Sendo assim, o café de todos os dias, com aquele cheirinho irresistível, pode se tornar um vilão. Temperos como alho, ou qualquer outro alimento com cheiro e gosto muito forte, podem ser cruciais para uma gestante nauseada. 
  •  Evite ficar muito tempo em jejum. O ideal, é se alimentar de 2 em 2 horas, com pequenas porções.
  •  Antes de se levantar da cama, experimente comer algumas bolachas de água e sal, ou torradas sem queijos, manteiga ou outros acompanhamentos. Essa costuma ser uma boa tática para evitar a ida apressada ao banheiro!
  •  Embora saibamos que muita água pode contribuir para os enjôos, é de extrema importância, que a gestante se mantenha hidratada. Por isso, aposte em águas aromatizadas, principalmente com frutas ácidas e folhas naturais( limão, laranja, kiwi, abacaxi com hortelã).
  •  Algumas gestantes referem melhora dos sintomas ao consumir gengibre (em forma de chá ou bala). Porém, cuidado com a quantidade de açúcar das balas! A melhor opção seria ao natural, nos sucos, saladas e chás, como dito anteriormente.
  •  Anote os dias que teve enjôo e faça uma relação com a alimentação do dia. Muitas vezes, essa é uma saída para descobrir porque tantos enjôos.

Todas as dicas acima, são citadas de maneira orientativa, e não substituem a consulta com seu médico/nutricionista. Lembre-se que durante a gestação, nada pode ser interpretado como bobeira, por isso, ao sentir-se incomodada procure seu médico e peça ajuda!

Por hoje é isso!

Espero ter ajudado….em caso de dúvidas, estamos sempre por aqui!

Beijos

Sobre Leticia Fadelli

Letícia Fadelli Pio Crepaldi é paulistana, tem 25 anos e é formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo desde 2009. Fez cursos na área de Educação Nutricional, Pediatria, elaboração de Cardapio, Assessoria e Consultoria em Escolas. Fez estágio no Banco de Leite Referência do Estado de São Paulo (Banco de Leite Humano Hospital e Maternidade Leonor Mendes de Barros), aperfeiçoando em processos de coleta manual e eletrica de leite humano, pasteurização, congelamento e manejo clínico de Aleitamento Materno. Depois de formada, trabalhou de 2011-2012 como Nutricionista da Merenda Escolar de SP, sendo responsável pela alimentação em 10 escolas e creches durante 1 ano na região Leste de SP. Atualmente mora no Japão.