Antes de começar, tenho que agradecer o ótimo trabalho que a Pri, Anne e Roberta fizeram no Mamatraca. Lá tem conteúdo de qualidade e construído em cima de muita pesquisa e bate-papo. Ótimos textos, vídeos e questionamentos, sempre respeitando cada ponto de vista. 

Um dia a Bru chegou em casa falando sobre o rosa ser de menina e o azul ser de menino. Já atenta à não promover essa segregação e sexismo na educação das meninas (por influência dessas amigas blogueiras que divulgaram o quão errado era), tratei de intervir e explicar que não era bem assim.

Falei que meninos podiam usar rosa, meninas podiam usar azul, assim como meninas podiam brincar de carrinho e meninos podiam brincar de boneca e casinha. Cada um pode fazer o que quiser. Ela adorou isso e sempre comenta: “Meninos também podem usar rosa.” Acho fofo. Eu tinha até gravado ela falando um dia assim: “É, pode usar rosa, amarelo, verde, laranja, vermelho…” hahah Demais né?! Pena que não achei aqui.

A última da Bru foi: As meninas usam brincos!!! Aí não teve jeito: disse que os meninos também podem usar brinco, mas que eles geralmente usam um só! hehehe Ela achou engraçado e perguntou porque. Em seguida disse que as meninas usam dois. ahhaha E mais uma vez eu tive que falar: “É, a maioria das meninas usa dois, mas não são todas. A Dora (uma amiga nossa) só usa um, porque doeu quando furou e ela não quis outro! hahaha”

Sei que para algumas pessoas pode parecer exagero essa explicação toda, mas eu não ligo. Não tenho preguiça de explicar e também não acho que confunde. Quero ensinar a não criar rótulos e padrões (embora façamos isso o tempo todo!), para que assim no futuro ela não discrimine tomando como base essas diferenças e estereótipos criados pela sociedade. Ela tem que saber que o “diferente” não é diferente! E olha, como isso é difícil!!!

Um vídeo bem legal do Mamatraca fala disso. Clique para assistir A ditadura do Rosa e Azul. Lá elas falam sobre as atribuições de “cuidar dos filhos, lavar a roupa, cozinhar” nos brinquedos de meninas e “lutar, chutar, brincar de arminha e carros velozes” nas brincadeiras de meninos.

Outro vídeo interessante é um que virou um sucesso na internet e tem mais de 1 milhão de visualizações, onde a menina que questiona o pai em uma loja de brinquedos. Quem não viu, veja:

[youtube]http://youtu.be/Lpp4Zt4caZY[/youtube]

Tenho um amigo que comprou fogãozinho e cozinha para o filho quando era menor, e a maior dificuldade dele foi saber se comprava mesmo sendo rosa, porque na época ele não achou nenhum com uma cor menos -rosa-.

Ontem a minha amiga Ana do Girls From Alphaville compartilhou um vídeo de um comercial de brinquedo super interessante. A idéia de desconstruir as meninas-princesas e deixar a imaginação fluir e fazer com que elas queiram ser engenheiras foi muito boa! VALE A PENA VER.

[youtube]http://youtu.be/2U-BEhUrqFA[/youtube]

E ai, como vocês fazem? Conseguem não criar rótulos? Não dizer que “isso é coisa de menino”ou “isso é coisa de menina”??

Bjossssss

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.