Quem nunca se culpou por algo que aconteceu na vida dos filhos??? Existe todo um movimento para que, principalmente as mães, não se culpem tanto. Afinal, temos muitas funções e responsabilidades e é impossível não deixar nenhum prato cair (além de que existem outras pessoas envolvidas e não podemos fazer tudo por eles). Mas a verdade é que a gente se sente sim “incompetente” em alguns momentos, mesmo que isso dure poucos segundos e logo você aceite que aquilo acontece, faz parte, e você não é uma Mulher-Maravilha!

Há alguns meses tivemos a primeira cárie na minha filha, aos 8 anos. Teve que tratar o canal, inclusive. Escrevi um rascunho no bloco de notas de 5x que me senti incompetente / fracassada como mãe. Esse rascunho nunca foi postado. Logo depois descobrimos cáries na outra filha, aos 6 anos.

Contei nos Stories no meu Instagram sobre a frustração e o sentimento de fracasso que senti nessas duas situações e abri uma caixinha de perguntas que dizia:
“O que te fez sentir frustrada no seu papel de mãe/pai?”

E em seguida: “Como você resolveu? Que ações tomou pra mudar o sentimento?”

As maiores queixas das mães foram:

  1. Quando o filho apresentou algum problema de saúde grave (bronquiolite, pneumonia, ficou internado, UTI, cirurgia)
  2. Quando o filho se acidentou na sua frente e ela não conseguiu evitar
  3. Quando perdeu a paciência, gritou, brigou, e poderia ter sido evitado
  4. Quando esquece de datas festivas ou recados da escola
  5. Quando o filho foi diagnosticado com alguma dificuldade de aprendizado, problemas de visão ou concentração e achava que era preguiça
  6. Quando brincou com o filho pensando em 62537 coisas, não teve nem tempo de brincar ou não gosta de brincar
  7. Quando o filho precisou de terapia e ela não percebeu.

Ahh, e quer saber quais foram as 5x (principais) que me senti fracassada?

  • Quando não conseguia fazê-la comer e ela despencou na curva de peso
  • Quando ela precisou de reforço na escola
  • Quando não percebi que ela precisava de atenção e acompanhamento
  • Quando ela teve a primeira cárie 🦷 
  • Quando ela sofreu um acidente doméstico

A verdade é que por mais que a gente se dedique, acidentes acontecem, crianças ficam doentes, e até os profissionais muitas vezes não conseguem nos orientar da melhor forma. O sexto sentido de mãe às vezes falha! E está tudo bem. A gente faz o possível (que a gente achava impossível), a cabeça não desliga 1 minuto de tudo o que precisamos dar conta, e vou contar um segredo: essa conta nunca vai fechar. Então aceita que nem tudo está sob o seu controle e seja mais leve. A maioria das mães está sobrecarregada com as funções da casa, filhos, agenda, supermercado, marido, trabalho, entre outras.

Muitas vezes esquecemos que essa mãe, é uma mulher, uma filha, uma esposa, uma irmã, e uma pessoa com necessidades e vontades. Desde a necessidade de ir ao banheiro em paz e de comer em silêncio, até a vontade de sair pra tomar um sorvete ou dar uma volta… conversar com outras pessoas sobre outros assuntos além de ‘filhos’. Sim, podemos ter vontades bobas. Precisamos de tempo sozinhas. Precisamos de tempo para fazermos algo por nós mesmas. Todo mundo ganha. O marido/companheiro, a família, os filhos.

Uma mãe que não está sobrecarregada consegue ser uma pessoa melhor, mais paciente e mais leve. Consegue dar mais atenção quando não está se dividindo entre a panela, um e-mail do trabalho e o filho chorando.
Se cuide e ajude outra mãe a ser uma mulher mais feliz e consciente de que precisa e merece seu espaço também.

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.