Oiii pessoal!

Sábado fomos ao Shopping e um acontecimento me fez refletir e escrever esse post hoje.

Uma familia com uma mãe, duas filhas e uma avó, sendo uma bebê de colo andavam pelo shopping tranquilamente. Uma hora, certa de que o elevador demoraria séculos para chegar, a mãe resolveu subir pela escada rolante. Ela pensou: “A bebê não está no carrinho, então não tem problema. O risco é quando o bebe está no carrinho, não é?!”

Apesar de ser contra e não ser acostumada a subir já que o marido sempre empurra o carrinho, ela resolveu subir, pois achou que também daria conta. E lá foram elas. A primeira subida foi um sucesso. A mãe subiu com uma filha no colo e a outra de mãos dadas e a avó com o carrinho atrás.

Viram a arvore de Natal e em seguida foram para outra escada rolante para ver a decoração do andar de cima.

 

A avó estava com a bebê no colo, e a mãe já confiante, foi na frente com o carrinho e a filha de mãos dadas. Ela deu distância do carrinho para que quando a escada subisse a alça não a empurrasse para trás, manteve a filha de mãos dadas o tempo todo bem firme. Repito, feliz e confiante, segurando forte e certa de que tinha subido a escada com segurança, esboçando um leve sorriso. Vira e mexe olhava para trás para conversar com a avó e a menina continuava sempre de mãos dadas, o que nem sempre acontece no meio da escada. Olhava pra frente novamente.

Ela não percebeu  que não tinha visibilidade pra ver o momento em que a roda chegava ao final da escada para dar aquela leve levantada e a roda não girar em falso.  A mãe não prestou atenção o suficiente e ao terminar a escada, a roda do carrinho não saiu. Ela forçou o carrinho para a frente e ele virou, jogando o bebê-conforto vazio, bolsa e garrafa de água no chão.

A mãe já tinha levantado a filha pela mão enquanto chutava e empurrava o carrinho para sair de frente da escada, e um rapaz que estava bem próximo foi ajudar a tirar e levantar o carrinho rapidamente. O anjo de camiseta vermelha, bem ao estilo Noel. No meio dessa confusão a menina, que flutuava pendurada como uma bailarina segurando firme com os dois braços pra cima a mão da mãe e enroscada no carrinho tombado, tinha batido o rosto na alça do carrinho.

O rapaz puxou e ajudou a levantar tudo, a tempo da mãe e da menina saírem de frente da escada e a avó com a bebê chegarem. Só então, a menina se soltou das mãos

Em seguida saiu um casal de senhores, e a senhora com um olhar fulminante, pensou – e não precisou falar: “Escada rolante não é lugar de carrinho! Que imprudência e irresponsabilidade fazer isso com as crianças”

A mãe se ajeitando e recolhendo, agradeceu a ajuda do rapaz e ficou assustada com as consequências que a imprudência dela poderia ter gerado.

Ela olhava para a filha com aquela marquinha vermelha de batida no rosto e a culpa fazia o coração ficar pequenininho. O silêncio tomou conta delas por alguns minutos até que o susto passasse e a lição ficasse.

Prazer, eu sou a mãe; a Bruna é a menina; a Clara é a bebê e a minha sogra é a avó. Aconteceu comigo, (graças à Deus sem nenhuma consequência, mas E SE…)? Não são somente histórias, acontece com a gente!!!

Eu tomei isso como um alerta, um aviso de Deus que acidentes acontecem e que na grande maioria das vezes podemos MESMO evitá-los.

Mais cedo, logo que chegamos ao shopping, eu via a Bru correr na praça de alimentação quando voltava do banheiro e já gritava e alertava sobre ela ficar longe da escada rolante, lembrando do caso em que a menina foi lançada quando o casaco enroscou. Eu tinha essa preocupação, em não deixá-la passar perto, mas não imaginei que fosse passar um susto daqueles. Eu não consegui ter controle do carrinho pois ele é pesado e de três rodas, o que facilita o tombo.

Os acidentes em escadas rolantes são vários!!!!!

Vou citar algumas formas de evitar,  espero que ajude:

  •  Proibido o uso de carrinhos! Obedeça!
  • Crianças devem sempre estar de mãos dadas
  • Não apoiar o corpo no corrimão
  • Não colocar os pés próximos à lateral da escada e faixas amarelas
  • Não subir com cadarço desamarrado ou comprido
  • NUNCA deixar a criança subir de Crocs e outros sapatos de borracha sem estar de mãos dadas e atenta!!!  (Diversos acidentes provocaram danos e até perda de dedos em pés de crianças com Crocs)
Crocs é um perigo!
Crocs é um perigo!

 Se todas as escadas fossem assim, acho que ajudaria a ensinar as crianças a “pular” a escada e não prender cadarços e sapatos ne? #AcheiFofo Eu teria medo de ser engolida pelo Homer.

Escada rolante engole!!! Fonte
Escada rolante engole!!! Fonte

Qual é o problema que temos em obedecer e respeitar a sinalização na escada rolante de que carrinho não é permitido?

Fonte
Sinalização existe. Falta obedecer

Qual é o problema das pessoas que usam os elevadores em perceber que cadeirantes, deficientes, idosos e carrinhos de bebê tem preferencia no uso?

Qual a dificuldade dos shoppings em projetar elevadores suficientes e bem localizados?

Quando fui para Portugal em 2008, vi um dispositivo instalado no pé da escada rolante que seria a solução para esse problema de carrinhos nas escadas. Uma haste de ferro bem em frente à escada impossibilita de subir com o carrinho. Se eu fosse homem tinha ficado estéril nesse dia pq dei uma pancada muito forte no osso de pelve pois não vi! Hahah

Bastou um “Google” para descobrir uma matéria de 2010 que fala que 5 shoppings em SP já tinham isso. Pena que a legislação não ajuda, pois diversos acidentes poderiam ser evitados, mas não existe lei que torne isso obrigatório. E não evitaria só imprudências como a minha, mas acidentes mesmo como a da menina que foi jogada porque o casaco agarrou no corrimão, pois ela nã estaria transitando tão próxima da escada.

foto 1
 Felipe Rau/AE Fonte

 

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.