Com a minha primeira filha, Bruna, foi bem diferente. Aos 4 meses e meio ela começou a frequentar o berçário e essa separação quando nós, mães, precisamos voltar ao trabalho com um bebê pequeno é muito mais dolorida.

Aos 9 meses dela parei de trabalhar e ela voltou a ficar comigo em casa.

Às vésperas da Clara nascer, a Bruna começou de vez a vidinha escolar dela, com apenas 2 anos e 2 meses. Não foi uma adaptação difícil quando chegava na escola, mas pra sair de casa às vezes era um sufoco. Ela deitava debaixo do carrinho, debaixo da mesa, mas era só sair de casa que ela ia feliz pra escola. (Também, a irmã havia acabado de nascer e ela via que eu ia ficar em casa com ela). Nos mudamos depois de 2 anos, e ela fez novamente uma adaptação.

Tudo para o mais velho é mais difícil né? Eles que desbravam, que descobrem, que tem a primeira experiência de escola, de ir na casa do amigo, de dormir fora, de pedir pra passear (depois de sair a noite, de ir pra balada, e por ai vai). Os irmãos vem atrás e acabam surfando na mesma onda, observando e aprendendo.

Eu gostaria de ter colocado a Clara na escola no ano passado porque ela imitava a Bru com a mochila, queria aprender coisas e ter amigos, mas como na escola da Bru só entrava com quase 3 anos e não consegui vaga em uma escola próxima, acabei adiando. E foi ótimo.

A ADAPTAÇÃO 

A Clara esperou ansiosamente por essa data e tem se mostrado muito feliz.  Nos 4 primeiros dias tinha horário reduzido para adaptação. O esquema varia de idade para idade, escola para escola, mas o dela está sendo o seguinte:

– 1o dia – quinta-feira – Mãe/pai/responsável fica em sala das 14 as 16h, participa do parque, banheiro, lanche.

– 2o dia – sexta-feira – Mãe/pai/responsável deixa a criança na sala até as 14h, se despede e fica no prédio da administração para qualquer necessidade. A criança fica na escola até as 16:30h, participa das atividades com a turma e vai embora mais cedo.

– 3o dia – segunda-feira – mesmo esquema do segundo dia. Pais ficam “disponíveis” na escola até 16:30h.

– 4o dia – terça-feira – Só ficarão na escola os pais que a professora solicitar, por dificuldades com a adaptação do filho.

– A partir do quinto dia as crianças entram e saem no horário normal.

Confesso que ela estava tão empolgada que eu pensava: “Ai caramba, vou ter que ficar 3 tardes a toa na escola??” Rss… tadinha, ela merece essa atenção.

COMO FORAM OS 2 PRIMEIROS DIAS

O primeiro dia foi muito bom. A professora chamou os novos alunos (4) depois que os outros 9 foram para o parque, para recebê-los com calma. Sentamos no chão e depois de sugerir que as crianças tirassem os sapatos, ela explicou com plaquinhas quais seriam as atividades do dia: Roda de conversa, banheiro + beber água, parque, banheiro novamente para lavar as mãos, lanche na sala e então poderiam ir embora.

O único problema que tive foi na saída do parque, pois 2 das crianças foram até lá de sapato, e a Clara fez a maior manha no trajeto para o banheiro pois queria o sapato. Começou a dar xilique e pedir colo. Lavei as mãos dela meio “a força” e assim que ela saiu de lá já ficou bem. Calçou o tênis e foi lanchar. Comeu todo o lanche e então fomos embora.

No segundo dia a deixei na sala, me despedi e fiquei por 2:30h com a Alice na escola.

A professora veio 2x nesse período passar o “relatório” para as mães de quem estava bem, quem  chorou um pouco. A Lala estava ótima e mais uma vez lanchou tudo, com excessão da maçã que coloquei umas gotinhas de limão. rss Fomos embora.

Clara e alice

A segunda-feira será igual, pois depois de passar 2 dias em casa a tendência é que seja mais difícil do que se fossem dias seguidos. A Clara está empolgada e já disse para eu a deixar na escola “sozinha”.

DICAS

Com essas minhas experiências de adaptação (3 da Bru e 1 da Clara), tenho algumas dicas:

  • Faça uma contagem regressiva faltando alguns dias para começar (não muitos!).
  • Prepare a criança sobre como será a rotina (se você leva e fica, se leva e vai embora; avisa que ela vai passar menos tempo no início e depois mais tempo; se você estará lá esperando ou se volta para buscar)
  • Nunca minta para a criança
  • Não prometa o que não tiver certeza ou não poderá cumprir.
  • Nunca vá embora escondida(o)
  • Ao levá-la para a sala, se despeça e saia. Não “estique” a despedida.
  • Fique segura(o) para passar segurança à criança. Seja firme.

Não comemore antes do tempo! Às vezes as crianças ficam bem nos primeiros dias mas quando percebem que é sério, que a ida para a escola acontece todos os dias, que tem regras e que passa um período todo lá, a criança pode começar a falar que não quer mais ir (como se tivesse perdido o encanto e deixado de ser legal).

E BOA SORTE!

Bjssss

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.