Oiiii pessoal! 

A querida leitora @ferngalvao me perguntou um dia sobre a relação do Steve com a Bruneca e a Clarinha, e prometi um post a respeito. Demorou mas cá estou eu escrevendo.
É claro que não existe formula magica, e assim como cada um de nós tem uma personalidade, acredito que os animais também. A raça, o sexo, o tipo do animal e a “criação”, fazem muita diferença.
Tudo depende do tratamento que a família dá ao animal. Se o cãozinho ou gato é um membro da família com M maiúsculo, cercado de cuidados, mimos, colo e atenção, é claro que ele vai sentir muito mais com a chegada do bebê. Acho que ainda na gravidez pode rolar um “desmame” pro impacto não ser muito grande. 
O Steve
Ele sempre foi um cãozinho bonzinho, não estragou quase nada em casa, não fica precisando de atenção. Para vê-lo tranquilo e feliz basta deixá-lo livre em casa, sem isolar e nem trancar ele longe dos outros.
É um animal pequeno que não sobe no sofá, nem nas camas, mas se deixar um sapato, mochila, tapete, blusa, almofada no chão, é ali mesmo que ele vai dormir. E se não estiver no chão, mas estiver fácil de puxar, ele puxa e “usa”, todo folgado. Hehe
Quando o Steve chegou era acostumado com o jornal do canil, e mantivemos o jornal por um tempo em casa. Depois que ele já estava acostumado a fazer no mesmo lugar, substituímos pelo tapete higiênico.
Ahhh! O Steve é um Spitz Alemão, também conhecido como Lulu da Pomerania. Não late muito, e não precisa de atenção e mil passeios na rua. Recomendo.
Como foi a preparação 
O que vou falar aqui, como disse acima, não é formula magica e depende muito da raça e temperamento de cada animal, e cada família.
  • Contato com a barriga
IMG_1705
Ainda durante a gravidez da Bruna eu conversava com ele e algumas vezes coloquei na minha barriga. Pode ser que ele não entendesse nada, mas sentia que alguma coisa estava diferente.
Deixava ele cheirar roupinhas antes de lavar, por exemplo.
Com 38 semanas e 4 dias.
Com 38 semanas e 4 dias.
  • Durante a internação / hospital
Quando a Bru nasceu, o Bre optou por tomar banho e se trocar em casa, então sempre que ele chegava, dava meinhas e fraldinhas da Bru que haviam caído no chão para ele cheirar, antes de lavar.
Dica: no dia da alta ou na véspera, dar um banho caprichado no Pet Shop e fazer uma tosa ou tosa higiênica
  • Apresentação
Quando voltamos pra casa, mostramos a Bru pra ele mesmo que de longe. Conforme ela foi crescendo, fomos aumentando o contato deles.
Rotina em casa
O Steve sempre teve acesso ao quarto da Bru e da Clara e nunca pegou nada delas, mesmo q estivesse no chão. Os brinquedos que ficavam espalhados no tapetinho, idem. Era da Bru e ele nem passava perto. Quando andava em cima do tapete emborrachado, chamávamos a atenção dele e ele saía. Ele entendeu que ali era o espaço dela e nunca houve “briga” por causa disso.
A única vez que pensei seriamente em dar/me “desfazer” do Steve, foi porque ela mordeu a Bru a ponto de sair sangue, quando ela tinha 1 ano e meio. Escrevi um post a respeito (Animal de estimação também quer atenção), mas foi mais um desabafo mesmo. Logo em seguida entendi que não era certo simplesmente me desfazer dele, além de ter sido um caso isolado. E mais: vi que a Bru derrubou a comida e quando ele foi comer, ela enfiou a mão pra pegar dele, e ele rosnou. Ela assustada, puxou a mão, e por isso “rasgou” um pouquinho. Esse nunca foi um comportamento dele, e é animal né?! Ele viu comida disponível, tentou comer. Mas se lerem o post, minha reação foi péssima. Fiquei super chateada, mas passou e nunca mais aconteceu.
Ele rosna às vezes pra ela, mas ela dá motivo… Agarra ele, tenta segurar pelo rabo… Aí não da ne!!? Heheh
Bom, mas acho que o animal não deve ser isolado da criança, como se ele fosse um vírus ambulante. Se for um animal vacinado e cuidado, não tem porque ter frescura. E acho que eles devem conviver sim com os bebes, desde que chegam em casa. Imagine se você sai de férias, e quando chega em casa tem uma nova pessoa que nem conhece, instalada e cheia de cuidados?! Não iria ter ciúmes? Quanto antes esse contato, melhor.
Juntei alguns trechos de vídeos da Bru com o Steve ao longo desses 2 anos… Olha só:
  • Aos 4 meses e 1 semana. A primeira vez que deixamos ele mordiscar o pézinho dela e ela tentava puxar os pelos dele. Pena que o vídeo mais legal não está publicado e deve estar no HD externo.
[youtube]http://youtu.be/jKwJ6z4dDew[/youtube]
  • Aos 10 meses, enfiando a mão na boca dele e dando muita gargalhada. Depois ela se irrita e cansa da brincadeira. hehe
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=o7Nv1SsoXHw[/youtube]
  • Aos 11 meses e meio, puxando o vestido dela enquanto andava. Sugiro assistir depois de 1min e 50s de vídeo. (assistir depois de 1:15)
[youtube]http://youtu.be/23yAAlYl7yI[/youtube]
  • Aos 2 anos, puxando a coleira e passeando com o ” Titi”.
http://youtu.be/p9UwddSQfyo
O animal ajuda muito, como podem ler nesse artigo da Revista Crescer: Animais de Estimação para as Crianças
Eu não sei como é a relação com outros animais como o gato por exemplo, mas acho que a “base” é a mesma: preparar para a chegada do bebê, não estimular os ciúmes, não brigar quando o animal chegar perto ou quiser cheirar. Faz parte e eles precisam se conhecer. Manter tudo bem limpo e higienizado, e as coisas do bebê protegidas, também.
6 meses... e ganhou uma lambida kkkkk
6 meses… e ganhou uma lambida kkkkk
8 meses
8 meses
O quarto do bebê deve ser limpo com um pano com álcool diariamente.
Massss, isso vale para os animais que não sobem no berço do bebê, poltrona, etc. Graças à Deus não tive esse problema, mas tem animais que não “respeitam” esse espaço com tanta facilidade. Além disso o Steve nunca foi super mimado. Ele é tranquilo e cada animal tem seu temperamento ne…
Boa sorteeee !!!!!!
 
Bjossss
Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.