1 comment

Ter 3 filhas tem algumas vantagens e uma delas é que posso fazer de um jeito com uma, de outro com outra e repensar como quero fazer com a terceira.

Quando engravidei da Bruna tinha muita influência de pessoas que acreditavam que “não pode deixar mal acostumada”, “tem que dormir no berço” e as poucas vezes que ela dormiu na nossa cama foi quando estava doente. Morávamos em um Loft, então apesar de estar no berço dela, ele ficava no nosso quarto então ficávamos bem pertinho. Nunca foi sofrido, mas amamentar e cochilar de madrugada era no esquema: poltrona de amamentação no cantinho, pernas elevadas e almofada de amamentação. Assim se eu cochilasse (o que é muito comum com mães que amamentam de madrugada), ela não caía. A Bruna era o bebê típico que dorme no peito e quando íamos colocar no berço, acordava e chorava. Voltava pro colo, peito, e eu não sabia muito bem como acalmá-la direto no berço. Com 6 meses nos mudamos para um apartamento maior e como ela já estava acostumada com o berço, se saiu super bem no novo quarto. Parei de amamenta-la a noite aos 10 meses e meio e ela dormia sozinha tranquilamente. Aos 2 anos a colocamos na cama. No início foi tranquilo, até que ela aprendeu a falar “não quero dormir agora”. E não tinha mais volta, aos 2 anos e 2 meses dela a Clara chegou.

Com a Clara fiz diferente. Aquela rotina de amamentar a noite era puxada e cansativa, então do carrinho ela foi para a minha cama. No início (aprox 1 mês), ela ficou no “QG” que montei na minha cama (uma almofada anti-refluxo forrada com rolinho).

Fica mais ou menos assim o "QG" do bebê recém-nascido aqui em casa (essa é a Alice)
Fica mais ou menos assim o “QG” do bebê recém-nascido aqui em casa (essa é a Alice)

Nos primeiros meses ela dormia melhor, mas foi só “contar isso” que a rotina mudou. Sabendo que os bebês tem ciclos e que “um mês dorme bem e no outro não”, encarei como parte do processo e a cama compartilhada (CC) me ajudou muito. Quem faz CC sabe o quanto ela é prática. Bebê chorou, vc desce a blusa, dá o peito e volta a dormir. Nem sei quantas vezes acordei com os seios de fora, mas com o sono recuperado e bebê feliz. Quando o bebê mama de madrugada, a CC é uma “mão na roda” mas chegou uma hora em que ela acordava muito mais do que precisava e eu cansada, dava peito. Qualquer resmungo, peito pra eu voltar a dormir. Falei sobre o dia em que cansei disso no post “Adeus peitinho self-service e cama compartilhada. Começamos o desmame noturno.” O problema é que mesmo “dando certo” eu não levei adiante e ela voltou pra minha cama e fiz o desmame dela próximo dos 2 anos, como contei aqui, já esgotada.

Imagem: Amamentação em Shutterstock
Imagem: Amamentação em Shutterstock

Dessa vez com a Alice estou observando melhor e fazendo alguns ajustes, apesar de ser fã da criação com apego, cama compartilhada e afins.

Como a Clara estava acostumada a dormir na nossa cama (quase todos os dias), tínhamos medo de colocar a Alice direto na cama e a Clara ir pra cima dela, pois mesmo colocando pra dormir no quarto dela, ela acordava a noite e vinha para o nosso, então a Alice dormiu na mesma almofada anti-refluxo que a Clara usou desde o primeiro dia, só que por mais tempo. De alguma forma naquele colchão ela estava protegida.

Bom Dia da Lala
Bom Dia da Lala
Marido viajando... cama com as 3
Marido viajando… cama compartilhada com as 3

Mas sobrava pouco espaço para mim e meu marido (mesmo em uma cama King, pois a almofada de elevação tem uns 60cm de largura), então depois de um tempo trocamos por um travesseiro. Sei que não há necessidade de manter a elevação, mas como a Bruna teve um engasgo sério quando chegou da maternidade, nós preferimos assim, e de certa forma também mantinha reservado um espaço pra ela (meu marido tinha medo de esbarrar nela dormindo).

Cama compartilhada

Mas a Clara continuava acordando a noite e vindo para a nossa cama e meu marido não dormia bem, então algumas noites colocamos a Alice no bercinho de balanço (que ela fazia as sonecas na sala) e depois de 2 meses e meio ficou ali definitivamente. (Na sala já não funcionava o beicinho durante o dia pois estava calor e ela dormia melhor no sofá – no canto do L). Assim eu poderia amamentar a noite sem precisar levantar, e as meninas podiam dormir com a gente.

bercinho meu bebe coelhinho fisher price
Bercinho de balanço (Fisher Price Meu Coelhinho)

Ela dormia a noite toda há mais de um mês com poucos episódios de acordar a noite e nós dormíamos melhor sem ela na cama.

Foi assim até quase 5 meses, quando ela começou a acordar a noite. Acho que o berço já não estava confortável pra ela e qualquer resmungada eu acordava, dava peito e deixava ela na cama, onde ela dormia tranquilamente. Depois de quase uma semana acordando todos os dias a noite, alguns deles até 2x eu percebi que realmente não dava mais pra dormir no beicinho, e se continuasse na minha cama provavelmente começaria a acordar para mamar pelo cheiro e proximidade com o peito (qualquer resmungadinha eu mesma daria). Ela precisava descansar em uma superfície plana pois sempre dormiu bem e eu não queria perder a “mamata” de dormir a noite toda.

Como eu já tinha a experiência com a Clara de que quanto mais cama compartilhada amamentando, mais ela começou a acordar e mamar a noite, preferi fazer diferente e colocá-la no quarto dela.

Pra ajudar um pouco, tinha saído uma atualização para a câmera do quarto dela que meu marido comprou (não tem tela, é só pelo iPhone), e eu poderia deixar a câmera rodando direto e qualquer barulho escutaria (antes só vinha notificação push e eu não me sentia segura de deixa-la longe. Tinha medo de não escutar pois o quarto é um pouco longe). Foi assim que no dia 4 de janeiro (com 5 meses e meio) a coloquei pela primeira vez sozinha no quartinho dela.

Segunda-feira, para me encorajar, deu tudo certo! Ela passou a noite sem tirar soneca, a coloquei no berço com muuuuuito sono e depois de mamar às 23:30h. Ela ficou bem (sem ficar me olhando e sem chorar), então corri pro meu quarto pra testar o volume da câmera e fiquei assistindo com o meu marido. Ela gemeu baixinho por 2 min, coloquei uma música de ninar (função da câmera, depois conto mais) e ela dormiu em mais 1 minutinho. Deixei a câmera ligada no telefone rodando em background.

image

Ela resmungou às 06:50h, mas continuou dormindo e acordou 07:50h.

A Sociedade Americana de Pediatria não recomenda o uso de kits berço e almofadas por risco de sufocamento e acidentes “escalando” o kit. O da “frente” amarrei pelo lado de fora por pura estética e não tenho almofadas soltas no berço, somente esse rolinho leve e firme. O berço está na regulagem mais alta, mas vou descer em breve e manter o kit no alto para que ela não possa pisar. Caso precise, eu tiro o kit.

Terça-feira, deitou 22:45 mas não estava tranquila. Continuei no quarto conversando e a peguei depois de 5 minutos. Dei colo uns 8 minutos e dormiu 23:00h. Acordou 7:30 e ficou quietinha brincando. Fui pro quarto 7:50 e ela brincou no berço até 8h, quando a peguei pra mamar.

Quarta-feira – Tomou banho, mamou 22:55, dei colo e dormiu por volta de 23:23h. 06:30 se mexeu. Dormi mais um pouquinho e ela chorou 06:55h. Mamou e voltou pro berço, dormindo até as 08h.

Quinta-feira – tirou uma soneca a noite, mamou e foi pro berço às 22:50h. Dormiu 23:00h. Acordou as 5h da manhã, dei mamá e coloquei no berço novamente. Dormiu até 8h e ficou 20 min no berço conversando, quando a peguei pra mamar.

Conforme a semana foi passando consegui puxar o horário pra mais cedo. Ontem fui dar banho depois das 21h em todos, quando ela já pedia por sossego e ela dormiu quase 22:00h.

Ela geralmente passa a noite (depois das 18h) sem dormir, fica suada e não suporta ficar melada. Independente do horário, dou um banho antes de amamentá-la e depois ela dorme cansada, limpa e satisfeita.

Não existe fórmula mágica. Cada bebê tem uma necessidade e a cama compartilhada por ser ótima pra uns e pra outros o berço pode ser melhor. Em time que está ganhando não se mexe, não é mesmo? E se não der certo, a gente tenta outro jeito. Não tem data limite, tem que ser bom para o bebê e para a mãe.

Quando o bebê tem a necessidade de acordar e mamar, mesmo dormindo no próprio berço, a CC ajuda e muito a mãe a ter mais qualidade no sono. Como era o contrário por aqui e eu não queria mais madrugadas intermináveis com ela no peito, como foi com a Clara, fiz uma opção diferente. CC no início e berço agora, aos 5 meses e meio.

Bjosss

Aninha 

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.