3 comments

Durante a gravidez passamos por diversas situações em que temos que decidir por um caminho ou outro e essas decisões não são fáceis de serem tomadas.

Além de termos preocupações com o desenvolvimento sadio do bebê e acompanhamento em diversas consultas e exames, precisamos procurar um médico que tenha uma linha de pensamento e atuação próximos do que buscamos. Passamos em alguns médicos até acertar, ou se não acertamos, vamos consultando até que pareça ser uma opção segura e certa.

Eu não sou das que mais vai em médica e costumava gostar do primeiro que eu ia, mas com a intenção do parto humanizado comecei a pensar mais em mim e na baby e procurar pessoas que fossem cumprir o que eu busco: assistência e acompanhamento adequado, respeitando as minhas vontades e necessidades reais de intervenção.

Bom, com a minha mudanca peguei indicação de uma médica em Campinas, depois desisti e resolvi seguir com o médico da gestação da Clara em SP, extremamente competente e de confiança. Mas como ele não faz exatamente o tipo de parto que eu procurava, fui atrás de uma equipe de parto humanizado, também em SP, também muito recomendada.

Até que um dia resolvi me consultar com um médico humanizado em Campinas e “o santo bateu” muito mais do que com a médica de SP. Ele foi super querido, ciente de que era o meu “plano B” já que eu pretendia ter em SP e buscava uma segurança em Campinas em caso de não ter tempo ou condições de me deslocar.

Entao veio novamente a dúvida: será que vale a pena me deslocar até SP pra ter o bebê em uma maternidade lotada e correr um grande risco de não ter minha bebê na sala de parto normal, e ter que ir novamente para o Centro cirúrgico, naquela sala fria – em todos os sentidos?

Comecei a repensar e conversei com a Angelina, a doula que escolhi para me acompanhar e com quem eu posso contar e debater as escolhas, além do meu marido, claro. Sabe um anjo que adivinha a hora de entrar em contato, mandar mensagem, perguntar como andam as coisas? É ela.

Foi ela quem me alertou e me lembrou de que eu tinha “decidido” ter a Alice em SP pois iria acompanhar com o meu médico anterior, mas já que não seria com ele, eu estava livre para fazer novas escolhas e pensar no que seria mais prático para mim e minha família, já que eu teria que ir pra SP de mala, cuia, marido e 2 filhas. Passei mais um tempo amadurecendo a ideia e conversei com o Breno. Ele foi extremamente aberto a mudarmos os planos novamente e repetiu o que já falou antes: que temos que fazer da forma que eu vou me sentir melhor e mais segura, e torcer pra sair como planejarmos pois agora é mesmo a última. Hehehe

Entãoooo people, plano B já virou plano A. Mas exatamente onde, ainda não sabemos. Só sei que vou continuar fazendo meu pré-natal bonitinho e torcer pra minha baby me ajudar ficando encaixadinha na hora certa. ?

Já mexi meus pauzinhos e peguei duas indicações de grupos de parto humanizado em Campinas. O Samaúma e o Arte de Nascer.

Aceito indicações de fotógrafas de parto!!

A gravidez

Começamos esse terceiro trimestre com um pouco de azia e muita agitação.

Qualquer vacilada na alimentação e o resultado é imediato: prisão de ventre e inchaço, mas também é revertido em alguns dias.

Pra quem não me acompanha (@analumasi), tive uma filha de cesárea agendada, outra por PN hospitalar sem analgesia mas com episiotomia e busco agora um parto natural.

Leiam aqui o post sobre o segundo trimestre 

bjoss

Sobre Aninha

Mãe de um trio de meninas: Bruna (6), Clara (4) e Alice (2). Dedico meu tempo à minha família e ao LookBebê. Antenada, adoro redes sociais e tecnologia e mais ainda, compartilhar conhecimento e informações sobre a maternidade. Sou (fui) Biomédica, pós-graduada em Engenharia Biomédica, mas optei por mergulhar de cabeça na maternidade.